Mudança na Gestão das Farmácias e Redes Independentes Brasileiras

quarta-feira, Março 22, 2017

Iniciamos o ano de 2017 diante de um grande desafio provocado pela concorrência das megas redes de farmácias que estão ameaçando a sobrevivência das farmácias independentes, mesmo estas ultimas estando agrupadas. A cada dia essas grandes empresas se aproximam de nossos PDV´s e já tem institutos de pesquisas (IMS e outros) divulgando que muito em breve elas estarão com 61% do mercado varejista com participação no momento, de aproximadamente 16% do número de lojas existentes no Brasil.

Vemos como preponderante essa perda de mercado dos varejistas independentes pelos seguintes motivos:

  1. Deficiência na gestão - Falta de comprometimento para formatar volume de compra junto à indústria farmacêutica e HPC e conseqüentemente, sem conseguir mostrar a organização e força do grupo;
  2. A não adequação á Lei 13.021/2014 – que foi aprovada por unanimidade no congresso nacional, sancionada e regulamentada pela presidência da república em 2014/2015, que transformou as farmácias em estabelecimentos de assistência de farmacêutica, reiterando a exigência da presença física do farmacêutico nos PDV´s durante todo o funcionamento da farmácia.

Entretanto, a maior parte dos dirigentes das farmácias independentes não quer ou não pode se adequar á lei. Enquanto isso os grandes grupos tiram proveito dessa situação, priorizando a contratação de farmacêutico, capacitando-os para oferecerem uma assistência farmacêutica com boa qualidade conforme a Lei 13.021 “contribuindo como verdadeiro protagonista no combate a precariedade do serviço publico do brasileiro”, esclarece o presidente da Abrafarma, entidade que representa as grandes redes.

Portanto, afirmamos aos senhores que a Augefarma dispõe de uma equipe capacitada e dedicada para fazer uma revolução na gestão do varejo independente, com modelo inovador onde a nossa Central de Negócios, visando uma maior participação dos credenciados ao portal www.redeaugefarma.com.br, repassa os produtos negociados com os fornecedores sem nenhum acréscimo, pois não existe cobrança monetária na indústria farmacêutica e no distribuidor logístico, objetivando, portanto, um maior volume e poder de barganhar melhores negociações, proporcionando rentabilidade aos empresários, dando assim oportunidade de sobrevivência aos mesmos. Essa equipe de colaboradores com a estrutura física e tecnológica, atuando em 12 UF´s com 2700 PDV’s, estarão também a disposição dos fornecedores que queiram realmente compartilhar essa mudança de gestão , através de nosso portal online – Central de Negócios, PBM, Farmácia Popular, Consultoria e Assessoria online e presencial, etc, estratégias para minimizar os efeitos da concorrência.

A HORA É AGORA:
Unir para competir!!! - Unir para sobreviver!!! - Unir para crescer!!!

Mauricio Possidônio dos Santos     
C E O